Economia criativa: como utilizar a tecnologia e inovação nesse segmento?

Com a mudança de comportamento dos indivíduos nas últimas décadas, os processos de criação modificam-se aos poucos, principalmente com o uso de novas tecnologias. Dessa forma, tanto o consumo quanto a produção também sofrem transformações, e não é à toa que a economia criativa está em constante ascensão.

Utilizar a criatividade para gerar valor e, consequentemente, capital é algo que parecia muito raro até algumas décadas atrás. No entanto, isso vem se tornando cada vez mais comum e já proporciona experiências únicas para diversos públicos. Criar, reinventar e produzir novidades é a grande sacada da economia criativa, adaptando o mercado ao que os consumidores desejam.

Aprenda como a tecnologia pode ser uma grande aliada para trazer mais inovação na economia criativa!

Qual é o objetivo da economia criativa?

A economia criativa é uma espécie de “matéria-prima intelectual”. Em outras palavras, é utilizar a criatividade para criar algo que possa gerar algum tipo de retorno financeiro. De acordo com o criador do termo, John Howkins, consiste em atividades em que as pessoas exercem a imaginação e ainda exploram o valor econômico disso.

Dessa forma, ganha-se dinheiro com ideias, criando valor e recursos produtivos. Empresas que utilizam a economia criativa são reconhecidas pela inovação, pois apostam em novidades e se destacam no mercado justamente por seus diferenciais. As startups são os grandes exemplos disso, em que já chegam ao mercado cheias de novidades.

As marcas que adotam esse modelo são reconhecidas por terem como objetivo oferecer experiências mais humanas e colaborativas. Assim, a criatividade se torna um recurso fundamental para elaborar produtos únicos.

Quais são as formas de utilizar a tecnologia para inovar na indústria criativa?

A economia criativa está presente em diversos nichos, entre eles arte, cultura, empreendedorismo, arquitetura e muitos outros setores. Uma das maneiras de explorar seu potencial é explorar a tecnologia, que está valorizada e vem descobrindo novas oportunidades.

Comunicação com recursos audiovisuais

É comum que as pessoas tenham a sensação que o tempo está passando mais rápido do que nunca. Por isso, a comunicação também vem adaptando-se a esse novo momento. Além de facilitar o entendimento e ajudar a passar as mensagens para o público, os recursos audiovisuais também se utilizam de tecnologias para sair à frente. Com isso, esse mercado inventivo movimenta a cultura e gera ideias inovadoras.

Geração de conteúdos digitais

A transformação digital está intensa nos últimos anos, e cada vez mais as pessoas buscam maneiras diferentes de consumir conteúdo – desde filmes, séries e músicas que são consumidos por meio de plataformas de streaming, até as notícias do cotidiano na palma da mão.

A tecnologia é um catalisador de mudanças comportamentais que acabam influenciando a forma como os conteúdos são criados. Nesse contexto, a criação de conteúdos digitais consegue entregar mais valor, com materiais voltados para a persona.

Um dos principais pilares para a economia criativa é que os produtos tenham relevância e ajudem mais pessoas. Por isso, ela mostra um imenso potencial para o futuro, já que inovação e tecnologia são pontos-chave para a transformação econômica e social. Aproveitar os benefícios oferecidos é um jeito eficiente de se destacar nesse novo momento.

Gostou de entender mais sobre a economia criativa? Deixe um comentário sobre o que você acha desse conceito!

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *